A Banca Festival de Artes

Publicado em: 15 de ago de 2018

A Banca Festival de Artes
18 e 19 de agosto, 11h às 20h. Casa Charriot, Comércio.
https://www.facebook.com/events/269395590311825/?ti=cl


V Feira de Trocas do Bem Comum

Publicado em: 13 de ago de 2018

V Feira de Trocas, dia 13 de setembro, na Escola de Belas Artes da UFBA.
https://www.facebook.com/events/308495336395210/?ti=cl


Paço das Artes (SP) abre inscrições para Temporada de Projetos 2019

Publicado em: 10 de ago de 2018

(Divulgação) O Paço das Artes – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – lança a convocatória da Temporada de Projetos 2019. O júri selecionará um projeto curatorial e nove trabalhos artísticos, que serão expostos em datas e local a serem definidos pelo Paço das Artes, atualmente sediado no Museu da Imagem e do Som (MIS), na av. Europa, 158 – Jardim Europa.

Os projetos e as fichas de inscrição devem ser entregues de 08 de agosto a 28 de setembro de 2018 no MIS (av. Europa, 158 – Jardim Europa), aos cuidados do Núcleo de Projetos do Paço das Artes, de terça a sexta-feira, das 12h às 20h. No caso de propostas enviadas pelos Correios, será considerada a data de postagem (até 27/09). As fichas e a convocatória estão disponíveis no site da instituição: www.pacodasartes.org.br.

Cada interessado poderá inscrever gratuitamente até três projetos individuais ou de grupo de artistas, desde que sejam exclusivos e inéditos para o Paço das Artes. O proponente terá liberdade quanto às linguagens de arte contemporânea, que serão desenvolvidas em seu projeto. O artista pode, ainda, direcioná-las a qualquer público, considerando que serão expostas em local de livre acesso.

Os selecionados para 2019 receberão um prêmio de participação, que será efetuado durante o período da exposição. Os artistas selecionados receberão um cachê de R$ 1.500,00 e o projeto de curadoria selecionado receberá a quantia R$ 3.500,00.

Além disso, o programa destinará uma verba para o auxílio da produção das obras dos projetos selecionados e montagem das exposições, entre outros.

Sobre a Temporada de Projetos

A vocação experimental do Paço das Artes é constatada, principalmente, por meio da Temporada de Projetos, que foi criada com o objetivo de abrir espaço à produção, fomento e difusão da prática artística jovem. Concebida em 1996, a Temporada de Projetos teve sua primeira exposição realizada em 1997 e se tornou, ao longo dos anos, um rico celeiro para a cena da jovem arte contemporânea brasileira.

Anualmente, a Temporada abre uma convocatória nacional selecionando nove projetos artísticos e um projeto de curadoria para serem desenvolvidos e produzidos com o respaldo do Paço das Artes. Os selecionados recebem acompanhamento crítico, a publicação de um catálogo sobre suas obras e um cachê de exibição. Desde seu surgimento, quando ainda era bienal (tornando-se anual em 2009), o programa possibilita a emergência de inúmeros artistas, curadores e críticos, muitos deles presentes na cena artística atual.

Em 2014, o Paço das Artes lançou a plataforma digital MaPA: http://mapa.pacodasartes.org.br, concebida por Priscila Arantes, que reúne todos os artistas, curadores, críticos e membros do júri que passaram pela Temporada de Projetos.


Fundação Pierre Verger convida para exposição Cheguei na Bahia

Publicado em: 07 de ago de 2018

(Divulgação) Há 72 anos, no dia 5 de agosto de 1946, Pierre Verger chega à Bahia, de navio, em procedência do Rio de Janeiro. Nesse momento, ele ainda era apenas fotógrafo. Não havia escrito nenhum livro e mal sabia o que era um Orixá. Mas já tinha percorrido os cinco continentes, era apaixonado pela cultura africana e afro-americana.

Essa mostra apresenta algumas das fotografias que foram realizados logo após sua chegada na Bahia, entre 1946 e 1950. Uma viagem à Velha Bahia, através das lentes de Pierre Verger, reunindo os primeiros registros daquela que viria a ser a sua chegada definitiva, a esta terra que escolheu como lar.

9 de agosto de 2018
19 às 22 hs
Galeria Fundação Pierre Verger
Rua da Misericórdia, 09, Salvador, Bahia, Brasil.


O mestre Mário Cravo Jr. e a UFBA


Nem só de ba[R]ragens vive o homem

Publicado em: 06 de ago de 2018

A exposição Nem só de ba[R]ragens vive o homem do artista Rondoniense Gabriel Bicho reúne trabalhos produzidos a partir da histórica enchente do rio Madeira em 2014, na cidade de Porto Velho. O projeto apresenta obras que transitam entre fotografia, videoarte, palavra e objeto. Bicho nos convida para uma imersão endereçada sobre as regiões atingidas pelas impetuosas águas do rio Madeira, buscando rememorar uma das maiores tragédias ambientais da história do Estado de Rondônia.

Abertura da exposição às 17h
Conversa com o artista às 18h
Visitação de segunda a sexta das 9h às 18h


EBA lança convocatória para II Colóquio de Fotografia da Bahia: imagem da política e política da imagem.

Publicado em: 01 de ago de 2018

Estão abertas as inscrições para a segunda edição do Colóquio de Fotografia da Bahia.  O evento é uma parceria da Escola de Belas Artes da UFBA com o ICBA – Goethe Institut. Consolida um espaço de reflexão que põe em diálogo pesquisadores acadêmicos e artistas visuais que atuam no campo da fotografia. As propostas de comunicação científica e de ensaio artístico podem ser enviadas até o dia 31 de agosto de 2018.

Nesta segunda edição, o Colóquio pauta as relações da fotografia com os processos políticos. A fotografia da política, a política da fotografia e a foto-política são enquadramentos necessários numa época na qual as tecnologias de produção de imagens, no seu sentido mais plural, disputam com a mídia hegemônica o território das ideologias e imaginários de públicos e mercados culturais. Além do tema central, o encontro recebe comunicações científicas e ensaios visuais sobre trabalhos que tenham a imagem fotográfica como objeto de pesquisa.

A novidade dessa segunda edição é a convocatória para ensaios fotográficos. Entendemos por ensaio um conjunto de imagens que tratam de um determinado tema, documental ou ficcional. As propostas devem ter título, resumo expandido da temática e entre quatro a dez imagens. Um Comitê Artístico selecionará os projetos aptos a serem apresentados nas mesas temáticas. Dentre os trabalhos habilitados, a curadoria do Colóquio selecionará os quatro que vão compor os painéis. Será considerada, além da qualidade artística, a aderência temática entre ensaios e comunicações científicas.

O colóquio é um espaço de conversação despojado das formalidades de outros eventos como seminários e simpósios. Painéis são organizados de forma a facilitar diálogos mais democráticos, onde todos podem expor opiniões e experiências sem as amarras hierárquicas das mesas de discussões tradicionais. A proposta é levar o conhecimento acadêmico e artístico aos espaços culturais da cidade.

As inscrições das comunicações científicas e dos ensaios visuais devem ser efetuadas por meio do formulário on-line: https://goo.gl/iWbjkT.

Informações e memória da primeira edição estão disponíveis na página do evento: https://www.facebook.com/coloquioverger/.


Revista Studium abre convocatória para nova edição

Publicado em: 01 de ago de 2018

Convocatória para envio de artigos, resenhas, entrevista e obras visuais, fotolivros/livros
de artista (fotografia), e sobre relações entre fotografia e literatura.

Serão priorizadas questões que perpassem o conceito de fotolivro, seu novo lugar na
história da fotografia, narratividade e análise de fotolivros paradigmáticos.

Sobre as relações entre fotografia e literatura serão aceitos artigos que evoquem as
fronteiras entre os dois campos em obras importantes (serão acolhidos também análises de
livros sobre o fotográfico, mesmo que não contenham imagens). Obras poéticas nos
campos da temática também poderão ser enviadas.

Artigos em português e em espanhol, sem limites de imagens.
Indicação de formatação:
http://www.studium.iar.unicamp.br/biblio/cont.html

Os artigos e qualquer dúvida deverão ser enviados para o seguinte endereço abaixo até
dia 30 de setembro de 2018 (colocar no assunto: nome do autor_Studium 40):
revistastudium40@gmail.com

As capas da revista Studium podem ser visualizadas no seguinte endereço abaixo:
http://www.studium.iar.unicamp.br/capas.htm#gsc.tab=0


Nota de Pesar – falecimento de MARIO CRAVO JÚNIOR

Publicado em: 01 de ago de 2018

A comunidade da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, lamentando o falecimento do SR. MARIO CRAVO JÚNIOR, aos 95 anos, informa que sua morte foi confirmada às 11:30 horas, nesta quarta-feira, 01 de agosto 2018.

Mario Cravo Júnior, baiano, um dos primeiros e principais nomes da arte moderna, nas décadas de 1940 e 1950, considerado um dos principais artistasplásticos da atualidade, tornou-se reconhecido internacionalmente pela força da sua obra sempre relacionada as tradições e crenças da Bahia.

A Escola de Belas Artes manifesta suas condolências aos familiares, amigos e colegas, pela irreparável perda ocorrida no cenário artístico local, nacional e internacional.

Salvador, 01 de agosto de 2018.

Nanci Santos Novais
Diretora da Escola da Escola de Belas Artes

[A cerimônia de cremação será 02/08, às 16h, no Jardim da Saudade]


Galeria Cañizares recebe exposição Nem só de ba[R]ragens vive o homem, do artista rondoniense Gabriel Bicho

Publicado em: 30 de jul de 2018

(Divulgação)

Exposição “Nem só de ba[R]ragens vive o homem”, de Gabriel Bicho
Abertura: 06 de agosto, das 17h às 21h, conversa com o artista às 18h
Visitação: 06 a 24 de agosto, de segunda a sexta, 9 às 18 horas
Galeria Cañizares – Escola de Belas Artes da UFBA – Av. Araújo Pinho, 212, Canela – Salvador – Bahia – Brasil

Em 2014, Porto Velho viu as águas do rio Madeira tomarem parte da cidade.

Ao longo dos dias, a força das águas serenas tornou-se exercício de aprendizagem. Ver o rio avançar vagaroso e com a mesma lentidão retornar ao seu curso normal, ouvir o silencio das pessoas, os lugares vazios de gente e cheios de água, lama, lixo e um rastro de devastação impressionante, tudo isto sem poder nada fazer, provocou-me muitos sentimentos.

Com uma vivência particular, observar o comportamento das famílias desabrigadas foi, além de impressionante, muito doloroso. Ver o quanto todos falavam de suas perdas e mantinham com esperança seus olhares atentos aos socorros que deveriam ser prestados pelo poder público.

Notar que não houve uma única menção ao rio de forma pejorativa ou com ira e, perceber a convicção de todos no que se refere sobre entender, quê, tudo o que acontecia era consequência da ação humana, ser este, responsável pelo problema e também pela solução dele.

À medida que as águas iam de encontro ao seu leito antigo, acompanhar o retorno das pessoas às suas casas e, perceber a capacidade desses moradores em [re]existir foi indescritível e muito emocionante.

Com essa nova existência, surgem novas angustias: o que esperar do rio na próxima cheia? O que esperar dos homens no poder na próxima cheia? Como a cidade e o povo irá suportar uma nova cheia? São estas algumas das muitas perguntas que passeiam pelo imaginário dos povos ribeiros oriundos das regiões em torno do rio Madeira.

Ouvir e refletir sobre estas e outras perguntas deve nos ajudar a compreender porque estas pessoas sempre retornam para suas casas, mesmo quando alguém tenta proibi-las de retornarem, pois, quem volta, em alma e memória, nunca se foi.


© 2016 Todos os direiros reservados - Desenvolvido por uma cria da casa