Palacete das Artes sedia mostra “EBA 140 anos – Fluxos Visuais de 1877”

Publicado em: 21 de jun de 2018

Visitação  fica aberta até o dia 5 de agosto

Por Rafaela Dultra (Agenda de Arte Cultura UFBA)

Como um testemunho da passagem de três séculos desde sua fundação, a Escola de Belas Artes traz a exposição “Fluxos Visuais de 1877”, que estreou na terça-feira (12), às 19h, na Sala Contemporânea Mario Cravo Jr,  do Palacete das Artes.

A mostra propicia a visibilidade das atividades ininterruptas da Escola de Belas Artes e reúne a produção prático-teórica dos seus mestres. O evento tem coordenação geral da Diretora da EBA, Profª Drª Nanci Santos Novais, e curadoria de de Eriel Araújo, Luiz Freire, Ricardo Bezerra e Viga Gordilho.

A abertura contou com a performance “(Há)Nônimo”, de Ricardo Biriba.  A visitação começou na quarta (13) e vai até 5 de agosto.

Serviço:
O quê: Mostra Coletiva: EBA 140 anos – Fluxos visuais desde 1877
Visitação: 13 de junho a 5 de agosto
Onde: Sala Contemporânea Mario Cravo Jr.,no Palacete das Artes (Rua da Graça, 284, Graça)

A coletiva conta com textos dos curadores e da diretora da EBA.

EBA 140 anos FLUXOS VISUAIS desde 1877

É com profunda satisfação, como egressa, professora e atual diretora da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, que apresento a exposição “EBA 140 anos – Fluxos visuais desde 1877”, gentilmente acolhida no Palacete das Artes no período de 12 de junho a 05 de agosto de 2018, concernente às comemorações do 140o aniversário de fundação da nossa unidade de ensino.
Esta exposição recorta, parcialmente, um panorama da produção artística e científica dos mestres da nossa Escola, desde o último quartel do século XIX até nossos dias, quando ela se apresenta consciente do seu compromisso como lugar de reflexão, comprometida com um ensino integral, amplo e atualizado, nas áreas das artes visuais e do design.

Certa que haverá outros feitos, outras atuações dignas de comemoração no futuro, não podemos nos esquecer de reverenciar seu passado e, principalmente, aqueles que o protagonizaram: professores, servidores técnicos, alunos e amigos que, com abnegação, devoção e compromisso, nunca deixaram de lutar contra a descontinuidade deseu funcionamento. Nesse sentido, reverencio aqui a atuação de grandes mestres que, além de grandes artistas, atuaram como diretores: Prof. Miguel Navarro y Cañizares, seu criador, de 1877 a 1882; Prof. João Francisco Lopes Rodrigues, diretor que assumiu a Academia com a saída de Cañizares e atuou de 1882 a 1893; Prof. Ignácio de Mendonça Filho, responsável pela incorporação da Escola à Universidade da Bahia, diretor de 1946 a 1961; Prof. Juarez Marialva Martins Paraiso, Professor Emérito da UFBA, que, desde a década de 1950, vem atuando como grande líder, defensor da renovação do ensino das artes, buscando sempre o reconhecimento e a valorização da centenária Escola. Assim, cada um no seu tempo, esses mestres marcaram grandes feitos e, através deles, reverencio todos que deram apoio e trabalharam com eles nos seus respectivos períodos. Meu desejo é que nossa Escola de Belas Artes continue viva e atuante para que as gerações futuras de professores e discentes possam atuar com responsabilidade e rigor profissional no desenvolvimento de propostas que respondam às expectativas da sociedade de seu tempo.

Pensando assim, deixo registrados aqui meus mais profundos agradecimentos a todos que acreditaram na realização desta grande mostra comemorativa. Agradeço à Universidade Federal da Bahia pela atenção das Pró-Reitorias– PROEXT, PROPLAN e PROAD –e também de sua Editora, a EDUFBA, que comungam com a sensibilidade do Reitor, Prof. João Carlos Salles, e do Vice-Reitor, Prof. Paulo Miguez, no apoio à área das artes, uma marca deste Reitorado. Meus sinceros agradecimentos ao Diretor do Palacete das Artes, Murilo Ribeiro, e à sua equipe, por abrir as portas desse precioso espaço para abrigar nossa comemoração.

Por fim, agradeço muitíssimo a meus colegas professores, que atenderam à convocatória para compor a referida mostra, em especial às Comissões, Organizadora e Curatorial, e particularmente, aos estudantes, aos servidores técnicos, e à turma terceirizada de serviços gerais da EBA-UFBA, na certeza de que, unidos, podemos garantira continuidade da Universidade pública, gratuita e de qualidade.

Nanci Novais Doutora em artes visuais,
professora e atual diretora da EBA-UFBA

 

EBA 140 anos FLUXOS VISUAIS desde 1877

A atual Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia apresenta, nesta exposição, uma produção parcial dos seus mestres. Desde sua fundação, em 1877, seus artista-docentes e teórico-docentes vêm acompanhando mudanças significativas no sistema das artes, seja pela inclusão de novos procedimentos do fazer artístico, seja pelo enfrentamento de guerras, condições sociais adversas e até mesmo a negação da própria arte. Com isso, surgem obras que colidem com movimentos e reflexões sobre a arte e a realidade social em cada época. Hoje, não há espaço para exclusões, pois os modos de existência da arte se ampliam e dissolvem barreiras entre arte e vida. Nessas perspectivas, as obras aqui expostas revelam a diversidade multirreferencial e multicultural inerente a seus autores. Nelas, o passado e o presente indicam outros fluxos para o futuro da produção artística.

Esta exposição reflete a criação e a produção intelectual dos que atuam nos quatro cursos de graduação (Artes Plásticas, Licenciatura em Desenho e Plástica, Superior de Decoração e Design) e no Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da EBA-UFBA. Enfatizamos que esse último vem desempenhando um papel de grande relevância na qualificação de artistas, professores e teóricos, abrangendo pesquisas aprofundadas sobre processos criativos contemporâneos, história, teoria e crítica da arte. Somado às obras dos artistas-professores atuais, uma parte do acervo artístico da EBA-UFBA está presente nesta mostra, pontuando significativas contribuições daqueles que se empenharam para a permanência do ensino da arte na Bahia.

Lembramos que os esforços iniciais para a implantação de uma Academia de Belas Artes na Bahia se deve aos pintores Miguel Navarro y Cañizares e João Francisco Lopes Rodrigues, além do Presidente da Província, Henrique Pereira de Lucena. Naquele momento, Cañizares abriu as portas da sua própria casa para que a Academia pudesse funcionar. Somente em 1948 a Escola de Belas Artes passou a fazer parte da Universidade Federal da Bahia. Atualmente situada na Avenida Araújo Pinho 212, ela possui laboratórios para o desenvolvimento de diferentes processos de criação artística e design, além de salas equipadas para atender a aulas teóricas e apresentações de pesquisas e seminários. Além desses espaços, destacamos a Galeria Cañizares, que desempenha importante papel nas atividades de ensino, pesquisa e extensão realizadas na EBA-UFBA.

Assim, comemorando uma trajetória de 140 anos de atividade ininterrupta, a Escola de Belas Artes celebra, com esta exposição, o encontro de gerações de seus mestres, aqui representados por sua produção artística e suas reflexões históricas e teóricas.

Os curadores

Registros da abertura no dia 12 de junho.


Diretoria da EBA comunica suspensão das aulas nos dias 21 e 22 de junho

Publicado em: 21 de jun de 2018

À Comunidade da Escola de Belas Artes- UFBA

Prezados,

Cumprimentando cordialmente a todos e todas, venho através deste informar que considerando os festejos de São João e jogo do Brasil na Copa do Mundo, a Escola de Belas Artes funcionará normalmente até o dia 20/06/2018, assim o período de recesso será do dia 21/06 ao dia 24/06/2018, retornando as atividades normais no dia 25/06/2018.

Em tempo a Direção da EBA-UFBA esclarece que o Programa da Pós Graduação fica livre de aderir ou não este período de recesso, neste caso o professor para ter acesso ao prédio do PPGAV nesses dias necessitará avisar com brevidade à secretaria para dar conhecimento aos vigilantes em serviço nos dias 21 e 22/06/2018.

Salvador, 19 de junho de 2018

Profa. Nanci Novais


Inscrições abertas para o Congresso da UFBA 2018

Publicado em: 21 de jun de 2018

Até o próximo dia 20 de julho, estudantes podem inscrever trabalhos para o Congresso da UFBA 2018, que vai acontecer de 16 a 18 de outubro. Todos os estudantes bolsistas da Universidade, inscritos nos vários programas de pesquisa, extensão, ensino e assistência estudantil, podem submeter resumos de trabalhos para apresentação no Congresso através do site http://www.seminarioestudantil.ufba.br. Mas, atenção: vale não esquecer a concordância do professor orientador.

As modalidades em que podem se inscrever são:

– Apresentação oral pelos autores, em sessões temáticas alocadas em salas, seguidas de debate;

– Intervenções artísticas de qualquer natureza, em diversos espaços abertos e fechados da universidade;

– Exposições de arte, fotografias, maquetes, produtos e outros formatos expositivos ligados aos projetos;

– Oficinas de curta duração com temáticas decorrentes dos projetos.

O resumo deve conter no mínimo 300 palavras e de uma a três palavras-chave. O estudante deve escolher o programa ao qual está vinculado e a área do conhecimento do projeto. Na etapa final da submissão, deve incluir o seu orientador e coautores.


Programa de Proficiência em Língua Estrangeira seleciona novos alunos

Publicado em: 21 de jun de 2018

Programa de Proficiência em Língua Estrangeira para Estudantes e Servidores da UFBA está com inscrições abertas.

Informações na página do programa: https://goo.gl/TcJnU6


Gráfico com textos e linhas pretas sobre fundo branco

Estudo aborda situação financeira de artistas visuais

Publicado em: 18 de jun de 2018

Na última primavera, The Creative Independent conduziu pesquisa que questionou artistas visuais sobre como conseguem, ou não, a tão desejada estabilidade financeira.

No que refere aos dados demográficos, preencheram o formulário 1016 pessoas de 52 países. Um quarto dos dados foi informado por habitantes dos Estados Unidos, seguido pelo Reino Unido (6%), Canadá (4,5%) e França (3%). Pode-se dizer que a pesquisa oferece um instantâneo da vida financeira dos artistas visuais.

Em relação ao tempo de vida profissional, há um equilíbrio entre novatos e experientes. 37% diz ter entre 1 e 5 anos de atividade e 32% declara ter mais do que 10 anos no mercado. 29% fica no tempo médio, tem de 5 a 10 anos de atuação. A linguagem artística mais praticada é a bidimensional (68%), seguida pela arte digital (34%), trabalhos tridimensionais (31%), vídeo (27%) e a pouco representada performance (16%).

Metade das pessoas que responderam se declara mulheres, 40% homens, 5% não-binários e 5% preferiu não responder. A maioria se autodeclara branca (60%), seguida dos asiáticos (10%), latinos ou hispânicos (5%), pretos ou afro-americanos (4%). 18,5% preferiu não responder a esta questão ou escolheu a opção “outro”.

Os resultados confirmam a percepção comum de que é difícil viver de arte. Se a referência for o custo de vida norte-americano, apenas 17% dos pesquisados afirmam receber mais do que o rendimento médio de 58 mil dólares por ano. Cabe aqui uma pesquisa para saber qual o percentual de artistas visuais brasileiros vive com mais de R$ 25.848,00 anuais, valor médio da renda do trabalhador segundo dados do IBGE em 2018.

Para mais informações, leia a íntegra da pesquisa no site do The Creative Independent ou uma interpretação dos dados no editorial da Artsy (em inglês).

 

 

 

 


Professor Claudio Cajaiba no palco ao lado de artistas do teatro baiano

Escola de Teatro da UFBA é destaque no Prêmio Braskem

Publicado em: 18 de jun de 2018

A EBA tem o prazer de parabenizar sua querida vizinha, a Escola de Teatro, pelas conquistas na comemoração dos 25 anos do Prêmio Braskem. O professor Claudio Cajaíba recebeu, em nome da Escola, o prêmio de melhor espetáculo adulto pela montagem Um Vânia, de Tcheckov. A peça, coprodução da Escola, recebeu ainda os prêmios de melhor direção (professor Gil Vicente Tavares) e ator (Marcelo Praddo). Antonio Pitanga, no discurso de agradecimento pela homenagem aos 60 anos de atuação, lembrou da sua passagem pela Escola de Teatro da UFBA, onde conviveu com Glauber Rocha e Martins Gonçalves. A história da cultura e da arte na Bahia passa pelo Campus Canela.

Foto: Carlos Casaes

Via Edgard Digital.


Cartaz com letras pretas sobre fundo com triângulos tridimencionais na cor cinza.

“Tridimensionalidades” na Galeria do Aluno

Publicado em: 13 de jun de 2018

A Galeria do Aluno da EBA-UFBA apresenta a exposição “Tridimensionalidades”, com abertura no dia 18 de junho, às 19h e visitação de 19/06 a 13/07.


Ilustração em azul quase transparente representando pessoas a caminhar

RV Cultura e Arte apresenta mostra coletiva “Transeunte”

Publicado em: 13 de jun de 2018

Trabalhos de Alex Hornest, Ananda Nahu, Guilherme GAFI e Pedro Marighella serão expostos no período de 20 de junho a 25 de agosto. A mostra tem visitação gratuita de segunda a sábado (segunda a sexta das 10h às 18h e aos sábados das 10h às 16h) na RV Cultura e Arte, na Avenida Cardeal da Silva 158, Rio Vermelho.

Mais informações: https://rvculturaearte.com/Transeunte


Fotografia das obras expostas no interior do museu

Museu Afro-Brasileiro da UFBA expõe trabalhos sobre inclusão e resistência

Publicado em: 13 de jun de 2018

A retrospectiva “Trajetória de Inclusão e Resistência no MAFRO/UFBA (2012-2018)”, em consonância com as temáticas do Fórum Social Mundial, relacionada diretamente ao eixo 19 – Vidas Negras Importam, trata das ações de denúncia que o MAFRO vem fazendo nos últimos anos, articulado com os movimentos negros e a comunidade em geral. O enfoque maior será destinado a duas exposições: “O MAFRO pela vida contra o genocídio da juventude negra”, inaugurada em 8 de maio de 2015 e “Exu: Outras Faces”, inaugurada em 21 de janeiro de 2013. Nessa trajetória, o MAFRO/UFBA tem se projetado como um dos principais portais das ações afirmativas da Universidade Federal da Bahia.

SERVIÇO:
O que: Exposição Trajetória de Inclusão e Resistência no MAFRO/UFBA (2012-2018)
Onde: Museu Afro-Brasileiro da Universidade Federal da Bahia, localizado no Largo do Terreiro de Jesus, Faculdade de Medicina da Bahia, Centro Histórico.
Quando: De segunda a sexta-feira, das 09 às 17h
Quanto: R$6,00 (inteira) R$3,00 (meia). Gratuidade para estudantes e funcionários de qualquer instituição pública.
Contatos: 3283-5540 | mafro@ufba.br


Cartaz com letras e grafismos em lilás e laranja sobre fundo branco

Núcleo da EBA oferece apoio à Pesquisa e Extensão

Publicado em: 08 de jun de 2018

O NAPEX é um órgão vinculado à Direção da Escola de Belas Artes. Tem por finalidade fortalecer e promover atividades que fomentem a integração da EBA com a sociedade.

Conheça a página do Núcleo do Facebook: https://www.facebook.com/napex.eba/


© 2016 Todos os direiros reservados - Desenvolvido por uma cria da casa