Realizou estágio pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em História – FAFICH/UFMG (2014-2015). Doutorou-se em História da Arte pela Universidade do Porto, Portugal (2001) com a tese intitulada “A Talha Neoclássica na Bahia”, especializou-se (Lato Sensu) em Cultura e Arte Barroca pela Universidade Federal de Ouro Preto, bacharelou-se em Museologia pela Universidade Federal da Bahia (1990) e licenciou-se em Letras Vernáculas com Francês pela Universidade Católica do Salvador (1983). Desenvolve pesquisas sobre a arte da talha, ou seja a ornamentação em madeira esculpida das igrejas baianas, especialmente do século XIX, a pintura e a escultura sacra católica e sobre os estilos maneirista, barroco, rococó e neoclássico. Leciona na Escola de Belas Artes da UFBA as disciplinas de História da Arte Ocidental e História da Arte Brasileira, lidera o grupo de pesquisa “História das Artes Visuais Brasileiras”, coordena o “Dicionário Manuel Querino de Arte na Bahia”, dicionário eletrônico que registra e divulga a biografia dos artistas baianos, ou que trabalharam na Bahia, suas obras e fortuna crítica e literária. Coordenou a pós-graduação em Artes Visuais da EBA/UFBA onde atua lecionando a disciplina “Artes Visuais na Bahia”, “Análise e Interpretação da obra de arte” e “Ornamento, arte e estilo”, “Metodologia da Pesquisa e “Seminário de Arte Brasileira”. Nesse programa orienta projetos de pesquisa na linha de História e Teoria da Arte. Assumiu a presidência do Comitê Brasileiro de História da Arte para o triênio 2017 a 2019. Ocupou a vice-presidência desse Comitê de setembro de 2007 a outubro de 2010. É membro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas – ANPAP, ocupando o cargo de 1º tesoureiro no biênio 2009-2010. Ocupou a vice direção da Escola de Belas Artes da UFBA de 2005 até o ano de 2013. Em 2005 ganhou o Prêmio Clarival do Prado Valadares da Organização Odebrecht, o que facultou a ampliação da pesquisa da tese e a publicação em 2006 do livro “A Talha Neoclássica na Bahia”. Por essa publicação o autor recebeu o prêmio Sérgio Milliet da Associação Brasileira de Críticos de Arte – ABCA. Integra desde maio de 2018 o Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN – Mandato 2018/2022.


Leciona em:

© 2016 Todos os direiros reservados - Desenvolvido por uma cria da casa