Retrato da professora

Maria Virginia Gordilho Martins (Viga Gordilho)

Graduada em Desenho e Plástica EBA-Escola de Belas Artes-UFBA Universidade Federal da Bahia (1972-1975); Mestre em Artes EBA/UFBA (1993-1995) e Doutora em Artes pela ECA-Escola de Comunicações e Artes-USP Universidade de São Paulo (2000-2003). Professora Associada I I I – Departamento I – História da Arte e Pintura , do Curso de Especialização em Arte Educação EBA/UFBA e do PPGAV-Programa de Pós Graduação em Artes Visuais. Vice-coordenadora do PPGAV no biênio 2005/06, coordenadora em exercício de janeiro a julho de 2006,e eleita até 14/03/2008, quando o PPGAV recebeu a nota 4. Membro da Câmara de Assessoramento e Avaliação Técnico-Científica da FAPESB de 29/03/ 2004 á 13/12/ 2006 e consultora Ad-hoc. Membro do Conselho Diretor do Instituto de Residência Artística SACATAR, de 2005 até março de 2012. Parecerista do PIBIC – Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica, desde 2006. Consultura Ad hoc da CAPES desde 2010. Membro da ANPAP-Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas, desde 1996. Foi representante de Comitê, do Estado da Bahia até 29 de setembro de 2007, quando passou a exercer o cargo de segunda secretária da Diretoria com sede na UDESC 2007/08. Eleita PRESIDENTE por aclamação, em 23/08/ 2008, para o biênio 2009/10, organizando o 18º e 19º Encontros Nacionais, respectivamente na UFBA e na UFRB. Indicada para membro da Academia de Ciência da Bahia, tomando posse em 6 de março de 2012. Aceita com membro da FAEB – Federação de Arte Educadores do Brasil, em novembro de 2013. Recebeu bolsa da CAPES (PICD), bolsas de estudos PCI-Programa de Cooperação Interuniversitária como Professora Visitante no Departamento de Escultura e Novas Tecnologias na Faculdade de Belas Artes de São Carlos da UPV-Universidad Politécnica de Valencia na Espanha(2000 e 2001). Trabalhos selecionados para participar do Projeto Fraenkulturforum nas cidades Esen e Hagen na Alemanha (2002) ,para o projeto itinerante VisibleVisions em Johannesburg na África do Sul (2003) e em Nairobi no Kenya (2005). Coordenou o Eixo de Artes do projeto multidisciplinar BTS – Baía de Todos os Santos de 2007 a 2012. Foi a primeira artista baiana a receber o prêmio COPENE de Cultura e Arte – (1996 ) e como Artista Residente SACATAR (2004). Em 2015, compôs a lista tríplice para concorrer ao Prêmio Mario Pedrosa – artista de linguagem contemporânea pela ABCA – Associação Brasileira de Críticos de Arte. Vem realizando mostras no Brasil, África, África do Sul e Europa. Obras, artigos e capítulos publicados em anais da ANPAP, revistas, livros nacionais e internacionais. Autora dos livros: “CANTOS CONTOS CONTAS – Uma trama às águas como lugar de passagem?, “ONDE SE ESCONDE O CINZA LUMINOSO?” ,”ONDE AS CASAS SE VESTEM DE CÉU?”, “RUÍNAS FRATELLI VITA” (Org.) , dos ANAIS 18º e 19º Encontros da ANPAP (Org) , “ENTRE TERRITÓRIOS – MESAS REDONDAS” (Org), “BTS em retalhos” (Org.) e “O VESTIDO FUXIQUEIRO”. Líder do grupo de pesquisa, MAMETO CNPq – MAtéria, MEmória e conceiTO em poéticas visuais contemporâneas , onde desenvolve investigações sobre o PROCESSO CRIATIVO. Principais coletivos criados : Afetos roubados no tempo, Guard(A)res, Ruínas Fratelli Vita, Banco à Memória, Vitrine, Outros papéis, Entre folhas, BTS em retalhos , Tramas, tramas e tramas e Alguns grãos poéticos em outros retalhos. Tem como objeto de pesquisa os símbolos oriundos do entrelaçamento cultural afro-indígena brasileiro, tendo como campo de referência metafórica as paisagens – águas dos oceanos e rios como guardiãs de uma poética do silêncio, usando a pintura expandida como linguagem.


Leciona em:

© 2016 Todos os direiros reservados - Desenvolvido por uma cria da casa